Sindicato dos Advogados do Interior Paulista

SindAdv – Em defesa da advocacia

Convenio AJG da Justiça Federal


download

 

 

 

 

Sr(a) Advogado(a)
Atualize seu cadastro no sistema AJG através do site http://www.trf3.jus.br
O exercício da advocacia, como atividade indispensável à administração da Justiça, constitui-se munus público, não comportando a nomeação dativa recusa nem renúncia injustificada, sob pena de cometimento de infração disciplinar pelo advogado, conforme previsão do artigo 34, XII da Lei n. 8.906/94. Ficando ainda advertido o patrono nomeado, quanto ao art. 14 e 15 da lei 1.060/50, que apresentam, respectivamente, as sanções em caso de renúncia e as hipóteses de autorização da mesma.
Considerando a exposição supra, informamos que o sistema AJG faz a nomeação do profissional POR SORTEIO e de acordo com os MUNICÍPIOS POR ELE ESCOLHIDOS no momento de seu cadastro.
E ainda, fica ciente o profissional de que o não aceite ao Termo de Compromisso inviabiliza sua nomeação.

Sistema AJG da Justiça Federal agiliza processos da competência delegada

A Justiça Estadual brasileira está contando com o auxílio da Justiça Federal no pagamento da chamada “assistência judiciária gratuita” (AJG), em processos da “competência delegada” que envolvem pessoas carentes. Desde o ano passado, os tribunais de Justiça passaram a contar com um sistema automatizado, desenvolvido sob a coordenação do Conselho da Justiça Federal (CJF), que facilita tanto o recrutamento dos profissionais que atuam na AJG quanto o seu pagamento.

 

Na chamada “competência delegada”, os juízes estaduais, por delegação legal de competência, podem julgar processos da competência da Justiça Federal (na maioria previdenciários) em municípios onde não existe vara federal. Já a assistência judiciária gratuita é uma verba que o Estado brasileiro reserva para remunerar advogados, peritos e intérpretes quando o jurisdicionado comprova não ter condições de arcar com essa despesa. Quando os processos são da competência da Justiça Federal, os juízes estaduais que atuam na jurisdição delegada precisam solicitar essa verba à Justiça Federal.

 

A Resolução 201/2012, do CJF, abriu aos tribunais de Justiça a possibilidade de aderirem ao Sistema Eletrônico de Assistência Judiciária Gratuita da Justiça Federal, mediante convênio a ser firmado com os tribunais regionais federais. Desde então, nove TJs já aderiram ao sistema (RO, SC, BA, MG, RR, AC, RS, PR e GO). O maior número de profissionais cadastrados está no TJ-RS: 5.148 profissionais, que já atenderam a um total de 4.771 solicitações, resultando no pagamento de R$ 1,4 milhão. Em seguida vem o TJ-SC, com 1.817 profissionais nomeados, 1.574 solicitações e R$ 453 mil em pagamentos. “No Tribunal de Justiça de Minas Gerais, eles gostaram tanto do sistema que o solicitaram para uso próprio”, afirmou o juiz federal Sérgio Renato Tejada Garcia, que coordena o grupo gestor do AJG.

 

A perícia judicial é um dos maiores gargalos enfrentados pelos juízes estaduais que atuam na competência delegada. As comarcas estaduais, em geral, não possuem estrutura adequada para recrutar profissionais que atuam nas perícias típicas em processos previdenciários – na maioria deles, médicos especialistas, que verificam se o segurado realmente tem a doença alegada. Além da dificuldade de encontrar esses especialistas em cidades do interior, a requisição de pagamento é normalmente feita por ofício, o que causa uma demora excessiva na quitação do débito, desestimulando ainda mais o recrutamento desses profissionais.

 

De acordo com Sérgio Tejada, o sistema AJG “agilizou e desburocratizou esses pagamentos, principalmente no aspecto financeiro”. O magistrado explica que o sistema funciona da seguinte forma: o profissional interessado em prestar o serviço se cadastra e informa onde tem interesse em atuar. Pode, inclusive, indicar mais de um município. Quando a vara federal tem necessidade de indicar um perito, acessa o sistema, que normalmente faz o sorteio do profissional. Depois que o serviço é prestado, o juiz responsável solicita o pagamento e aparece essa informação direto no setor financeiro. Abre-se então um processo administrativo e solicita-se o recurso para pagamento. Sérgio Tejada acrescenta que o sistema está preparado para enviar todas as informações à Receita Federal, já que mantém todos os registros dos pagamentos, e ainda para encaminhar o comprovante de pagamento ao profissional, para que ele também apresente essa informação na sua declaração de rendimentos. “Em alguns casos, um processo de pagamento levava seis meses ou mais para ser concluído, e agora é pago no próprio mês da solicitação”, observa o juiz federal.

 

Confira os números da competência delegada no AJG*:

 

Estado Nomeações Solicitações
Quantidade Qtd. Valor
Acre 345 344 R$ 68.800,00
Bahia 2 2 R$ 800,00
Goiás 170 168 R$ 35.210,00
Minas Gerais 261 261 R$ 52.200,00
Paraná 624 624 R$ 124.776,10
Rio Grande do Sul 5.148 4.771 R$ 1.420.430,63
Santa Catarina 1.817 1.574 R$ 453.488,97

*Em Rondônia e Roraima não houve lançamentos no sistema AJG até o momento.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado em abril 9, 2015 por em Uncategorized.
%d blogueiros gostam disto: